Soja bate recorde no porto de Paranaguá; veja notícias desta quinta

  • Boi: arroba tem acomodação no mercado físico e no futuro
  • Milho: bushel fecha acima de US$ 6 em Chicago
  • Soja: saca renova recorde no indicador do Cepea para o porto de Paranaguá (PR)
  • Café: arábica tenta atingir nova máxima histórica
  • No exterior: reunião do Banco Central Europeu é destaque na agenda
  • No Brasil: volta do feriado pode trazer ajuste na bolsa e no dólar

Agenda:

  • Brasil: prévia da sondagem da indústria de abril (FGV)
  • Brasil: dados das lavouras do Rio Grande do Sul (Emater)
  • EUA: exportações semanais de grãos (USDA)

Boi: arroba tem acomodação no mercado físico e no futuro

Após alguns dias de queda, a arroba do boi gordo tem acomodação e cotações ficam praticamente estáveis no mercado físico e no futuro. O indicador do boi gordo do Cepea subiu 0,14% em relação ao dia anterior e passou de R$ 315,4 para R$ 315,85 por arroba. Sendo assim, no acumulado do ano, o indicador valorizou 18,23%. Em 12 meses, os preços alcançaram 60,78% de alta.

No mercado futuro, os contratos do boi gordo negociados na B3 tiveram desempenho misto, em que a ponta mais curta recuou, a parte do meio da curva teve leve valorização e os vértices mais longos tiveram ligeiro recuo. O vencimento para abril passou de R$ 311,8 para R$ 311,1, o para maio foi de R$ 306,8 para R$ 306,95 e o para outubro, de R$ 326,85 para R$ 326,45 por arroba.

Milho: bushel fecha acima de US$ 6 em Chicago

Os contratos futuros do milho negociados em Chicago tiveram o terceiro dia consecutivo de altas expressivas e fecharam acima de US$ 6 por bushel pela primeira vez em 2021, considerando o vencimento para julho. O contrato com vencimento para julho subiu 2,43% e passou de US$ 5,92 para US$ 6,064 por bushel.

A produtividade da segunda safra brasileira segue sendo a principal preocupação do mercado de milho mundial em virtude da falta de chuvas. A consultoria IHS Markit diminuiu sua projeção para a safrinha em 5,5 milhões de toneladas para um total de 79,45 milhões de toneladas.

Soja: saca renova recorde no indicador do Cepea para o porto de Paranaguá (PR)

O indicador da soja do Cepea, calculado com base nos preços praticados no porto de Paranaguá (PR), subiu pelo terceiro dia consecutivo e renovou o recorde histórico da série. A cotação variou 0,4% em relação ao dia anterior e passou de R$ 178,61 para R$ 179,32 por saca. Desse modo, no acumulado do ano, o indicador teve uma alta de 16,52%, e em 12 meses, os preços alcançaram 76,76% de valorização.

Em Chicago, os contratos futuros da soja tiveram valorização pelo sétimo dia seguido e registraram novas máximas para o ano. O contrato com vencimento para julho, o mais negociado atualmente, valorizou 1,5% e passou de US$ 14,576 para US$ 14,794 por bushel.

  • Bovinos: abate de fêmeas em MT despenca 26% no primeiro trimestre

Café: arábica tenta atingir nova máxima histórica

O café arábica segue em recuperação no mercado brasileiro após as quedas observadas na segunda quinzena de março. O indicador do café arábica do Cepea se valorizou e está próximo de renovar a máxima histórica da série, atualmente em R$ 748,80 por saca. A cotação variou 0,93% em relação ao dia anterior e passou de R$ 736,3 para R$ 743,12 por saca.

Em Nova York, a cotação dos contratos futuros do arábica segue buscando o nível de US$ 1,40 por libra-peso registrado em 25 de fevereiro. O contrato com vencimento para julho, o mais líquido no momento, teve baixa de 0,19% e passou de US$ 1,3445 para US$ 1,342 por libra-peso.

No exterior: reunião do Banco Central Europeu é destaque na agenda

A agenda econômica tem como destaque a reunião do Banco Central Europeu (BCE). A expectativa dos investidores é que o BCE não altere as diretrizes atuais da política monetária, mas que inicie a sinalização sobre a retirada das medidas de estímulo no futuro. O mercado espera que, caso a vacinação ganhe ritmo na União Europeia, a recuperação econômica faria com que as medidas de estímulo fossem revertidas.

Em comunicações recentes, a presidente do BCE, Christine Lagarde, tem indicado que projeta melhora da economia na região no segundo semestre. Na agenda dos Estados Unidos, o destaque é a divulgação dos dados semanais de pedidos de seguro desemprego. Na semana passada, o resultado bem melhor que o projetado pelo mercado trouxe novas altas para o mercado acionário norte-americano.

No Brasil: volta do feriado pode trazer ajuste na bolsa e no dólar

Com os mercados fechados no Brasil nesta quarta-feira, 21, em virtude do feriado de Tiradentes, a expectativa é que hoje o Ibovespa e o dólar se ajustem ao movimento de ontem no exterior. O dia foi marcado por uma interrupção do ligeiro pessimismo que marcou os mercados nos últimos dois dias. Com isso, as bolsas europeias e norte-americanas tiveram alta e o dólar recuou em relação aos principais pares e moedas emergentes.

Dessa forma, caso o cenário político não prejudique o desempenho dos ativos brasileiros, a expectativa é de que dólar e bolsa apresentem melhora na abertura dos negócios. Com a agenda econômica esvaziada nesta semana, o noticiário político é acompanhado ainda mais de perto pelos investidores.

Fonte: Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *